Novo animal? – 4 questões fulcrais a colocar

caocasadestruida

A responsabilidade de ter um animal de companhia começa mesmo antes de o ter. Independentemente de ser adoptado ou comprado, antes de levar um animal para casa, é necessário ponderar sobre diversos factores.

Tempo disponível

É importante avaliar qual vai ser a sua disponibilidade para o animal e perceber se será suficiente para satisfazer as necessidades físicas, emocionais e mentais específicas do mesmo.

Vai ter tempo para lhe dedicar atenção e para lhe dar os cuidados básicos? Passa muitas horas fora de casa e quando chega, não tem disposição para levar o cão à rua, para passear com ele, para limpar a caixa de areia do gato? Um animal que não vê as suas necessidades físicas, mentais e emocionais satisfeitas, pode sentir-se frustrado ou ansioso e apresentar, por exemplo, comportamentos destrutivos ou distúrbios comportamentais, como a separação por ansiedade (comum em cães que ficam muitas horas sozinhos em casa).

Não se esqueça que todos os animais são diferentes e que deve primeiro perceber, junto da pessoa ou instituição em que obtém o seu animal, se este necessitará de muito exercício físico, se é um animal pouco energético, se é um animal mais independente ou que necessita de muito contacto com o dono, etc. Por exemplo, não é necessariamente verdade que um cão pequeno precise de pouco exercício ou que um de grande porte precise de muito! Se não vai ter tempo para lhe dedicar, mais vale ponderar se realmente é a melhor escolha!

Custos associados

Ter um animal implicará sempre custos adicionais para o seu agregado familiar que se poderão prolongar por 10 ou 15 anos, tais como ração, despesas médicas, brinquedos, cuidados de higiene como banhos e tosquias, etc.

Estes custos dependerão, por exemplo,

  • do seu tamanho
  • do tipo e comprimento do pêlo
  • da raça – algumas raças têm propensão genética acrescida para determinados tipos de problemas médicos ou uma tendência natural para certas actividades

É capaz de garantir tudo isso ao animal que pretende incluir na sua família? Só o leve para casa, se tiver essa possibilidade….

Ambiente familiar

Os cães e gatos são animais adaptáveis. Contudo, isso não implica que todos se possam adaptar a qualquer ambiente que lhes seja apresentado.

Na hora de escolher um animal de estimação, é importante questionar:

o animal sente-se confortável num ambiente com crianças ou na presença de pessoas de idade ou outro qualquer grupo específico de pessoas? As crianças tendem naturalmente a ser barulhentas ou a moverem-se rapidamente e de uma forma pouco previsível, diferente da forma como um adulto se move e fala. De forma oposta, pessoas de idade tendem a andar mais devagar, com uma postura às vezes mais curva e por vezes com cadeiras de rodas ou bengalas.

Movimentos diferentes, posturas diferentes ou objectos desconhecidos podem ser coisas com as quais um cão ou gato não consiga conviver, especialmente se não foi habituado desde pequeno a estar na presença destas pessoas ou objectos.

o animal adoptado tem alguma aversão conhecida a outros animais ou já tem animais em casa que possam ter essa condicionante?

É fulcral para o seu bem-estar e para o bem estar de todos os animais ao seu cuidado que se esteja consciente de qualquer incompatibilidade que exista inter ou intra-espécie.

Incompatibilidades entre animais da mesma espécie ou entre animais de espécies diferentes, não implicam necessariamente que o novo animal não possa fazer parte da família mas será necessário que primeiro pondere bem como ou se conseguirá comportar esta condicionante nas situações do dia-a-dia.

Viagens: onde fica o animal?

Se gosta de viajar regularmente, poderá ter de o deixar de fazer com tanta regularidade por causa do seu fiel amigo.

Antes de obter o animal, pesquise soluções possíveis na sua zona, como sejam alojamento pet friendly, hotéis para animais, pet sitters ou outras alternativas como amigos ou familiares, para quando não puder levar o seu 4 patas consigo…Idealmente deverá visitar o local e levar o animal ao local antes da primeira situação de viagem para que não lhe seja um local estranho com pessoas estranhas quando chegar a hora de o deixar. Isto diminuirá o stress que o animal vai sentir por estar fora do seu ambiente habitual e longe do seu dono.

Pondere muito bem antes de levar um animal – seja qual for o animal – para sua casa. São seres vivos, com sentimentos e necessidades que precisam de ser supridas. Se vive com mais pessoas, todos os elementos do agregado familiar deverão concordar e aceitar a vinda do novo elemento.

Fontes de informação: Página de Facebook Fluffypet, gerida por Hermínia Santos, amiga da ALAAR

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s